Chucho Valdez e Gonzalo Rubalcaba, pianos

Abertura 
André Mehmari, piano  

Dois dos principais expoentes do piano cubano, Chucho Valdés e Gonzalo Rubalcaba apresentam, pela primeira vez no Brasil, o aclamado projeto “Trance”, nos dias 30 e 31 de agosto, na Sala SP, em São Paulo, e na Sala Cecília Meireles, no Rio, respectivamente. O show – que tem patrocínio da Rede e integra a segunda edição do projeto Mais Piano – marca a primeira parceria dos compositores, cuja amizade e a admiração mútua vem de longa data. 

“Conheço o Gonzalo desde que ele era criança. Este projeto é um duo composto por pianistas que tem uma relação histórica dentro da tradição do piano cubano, o que o torna muito especial. Surgiu naturalmente, organicamente, e os dois pianos já soam como um só”, observa Chucho. “Teria sido fácil escolher alguns standards, mas queríamos fazer algo especial. Reescrevemos músicas para dois pianos e criamos versões de músicas que vão desde o popular e clássico repertório cubano até a obra de Thelonious Monk”, acrescenta Gonzalo. Detentor de seis prêmios Grammy e consagrado como fundador, líder e principal compositor da inovadora banda de jazz afro-cubana Irakere, Chucho investe desde 2005 em sua carreira solo, apresentando seu talento como pianista e líder de conjuntos mais enxutos. Gonzalo Rubalcaba, por sua vez, cresceu ouvindo Valdés e explodiu na cena mundial do Jazz nos anos 80 com o explosivo grupo Proyecto

No início dos anos 90, suas performances em formato de trio com Charlie Haden e Paul Motian o consagraram como um dos principais pianistas de jazz da atualidade. Como muitos bons amigos, Valdés e Rubalcaba têm muito em comum. Ambos foram criados em Cuba por famílias musicais. Bebo Valdés, pai de Chucho, foi um proeminente pianista na cena jazz afro-cubana. Guillermo Rubalcaba, pai de Gonzalo, foi o pianista da banda que criou o cha-cha-cha, além de ter tocado e feito arranjos para várias orquestras. Ambos se baseiam na herança afro-cubana e nas tradições do jazz americano e,  através de diversos projetos musicais, valorizam a comunidade musical independentemente de gênero, geração e cultura. Juntos, em “Trance”, os pianistas e forçam a energia de sua amizade e a visão coletiva da música como uma força espiritual e uma linguagem universal. 

O show de abertura será de André Mehmari, virtuoso e renomado pianista brasileiro que apresentará obras próprias e arranjos autorais de temas da MPB. Parte do repertório do concerto foi gravado para o livro/CD “O Brasil não Existe!” lançado pela Publifolha, onde Mehmari compôs arranjos de canções da MPB que inspiraram A. Bettega, C. Giannetti, G. Camilo, V. Nikitin, J. R. Torero, Siba, G. Wisnik e Laerte a comporem contos, quadrinhos, notas de viagem e outros tipos de texto. 

Preços: 
Plateia Inferior: R$240 / meia R$120
Plateia Superior de A a H: R$200 / meia R$100
Plateia Superior de I a P: R$50 / meia R$25 

Ingressos à venda na bilheteria da Sala Cecília Meireles ou através do site www.ingressorapido.com.br